Arquivo da tag: Maceió

#DSemMaceió

dscf1312

As oficinas do Desabafo Social em Maceió-AL, que ocorreram no período entre  23 e 24/01, atenderam às expectativas dos organizadores e dos participantes, contando com dois espaços para a realização das mesmas.

No primeiro dia, 23/01 (quinta-feira), a oficina Adolescência, Juventude e Participação no Lar Evangélico Masculino Pastor Boyd O’Neal, situado no município de Rio Largo, região metropolitana de Alagoas, foi bastante satisfatória. Monique Evelle e Elias Lourenço hospedaram-se no Lar, promovendo, assim, uma nova atividade à noite. Jogos e criação de desenhos embalaram à noite das crianças.

No segundo dia, 24/01 (sexta-feira), os integrantes do Desabafo Social foram para Maceió, para realizar a oficina Direitos Humanos na Web e Participação Juvenil na Escola Estadual Geraldo Melo dos Santos. A troca de experiências foi notória do começo ao fim, contando com a contribuição da professora de Artes e do professor de História.

Ainda na sexta-feira, o Desabafo  visitou uma das comunidades periféricas  da capital alagoana, registrando tudo na memória e na lente da câmera. DSemMaceió terminou deixando um gostinho de quero mais, fazendo com que Monique e Elias já planejassem as próximas atividades.

Anúncios

Comunicação para a Erradicação do Trabalho Infantil

Imagem

Comunicadores da ong Cipó e Elias de Souza, articulador do Desabafo Social em Alagoas.

Aconteceu no 18/09 em Maceió-AL ,mais uma das oficinas realizadas pela CIPÓ, cujo tema foi “Comunicação e Trabalho Infantil”,que está sendo realizada no Norte e Nordeste entre os dias 12 e 26 de setembro.

A oficina em Maceió contou com a presença de diversos profissionais que fazem parte do Sistema de Garantia de Direitos (SDG), na instância regional. No primeiro momento foi debatido a situação dos municípios alagoanos no contexto do trabalho infantil e, em seguida, foi abordado um diagnóstico com os índices de trabalho infantil nos estados do Nordeste. O debate ao longo do evento foi contínuo e bastante edificante, se intensificando próximo do fim, onde foi feita uma dinâmica muito  interessante.

Segundo Maria Auxiliadora, uma das participantes da oficina, a solução para acabar com o trabalho infantil, é a elaboração de projetos assistenciais eficazes, que visem o acompanhamento familiar de maneira continuada.

No dia 26 de setembro, o Desabafo estará presente  na oficina que será realizada Salvador-BA.

Oficina temática – Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes

foto0248

Realizamos hoje (03/09), em Macieó-AL, a oficina sobre Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes que, apesar de ter sido realizada com poucos jovens (15), teve um resultado bastante positivo. Foi notório a participação e interação dos mesmos nas dinâmicas praticadas sobre o referido tema. De início fizemos uma apresentação do Desabafo Social. Em seguida introduzimos o assunto, abordando de modo que houvesse um bom entendimento.

O que os jovens da oficina pensam sobre Violência e Exploração Sexual:

1) Pra você o que é violência sexual ?

        “É quando o direito da criança e do adolescente é violado. Segundo o ECA , é direito de crianças e adolescentes a integridade física e psicológica. A violência sexual é um ato surreal e cruel cometido por pessoas com algum tipo de deficiência mental.”

2) Quem devemos procurar quando soubermos de algum caso de violência sexual?

     “ Precisamos ir ao Conselho Tutelar, no CRAS,CREAS  e delegacias em geral.”

3) Frase de conscientização sobre a prevenção de exploração sexual.

       “Temos que ficar sempre atentos para qualquer sinal de violência sexual infantil, essa luta é minha,é sua,é nossa ! “

4) Propostas para combater a violência sexual contra crianças e adolescentes.

      “Além de punições mais rígidas para os abusadores, precisamos pensar num tratamento psicológico para os mesmos, senão quando ele estiver em liberdade continuará a praticar o abuso.”

      “ Conscientização contínua dos órgãos competentes nos meios de comunicação.”

      “Abordagem desse tema nas escolas por meio de assistentes sociais.”

Depois de um longo bate-papo sobre o tema, fizemos um quebra-cabeça com os tipos de violência sexual infantil para que houvesse uma maior compreensão sobre o tema.