Arquivo do mês: maio 2014

Nota

Aconteceu no dia 24/05, em Maceió-AL, a oficina que teve como tema Mídias Sociais e a Pornografia Infantil. Foi enfatizado durante toda a atividade pelo mediador, Elias Lourenço,  a importância do acompanhamento dos pais, quando os filhos estiverem acessando a … Continuar lendo

Sabotagem X Manifestação

O dia em que São Paulo parou!

FIFA

Militante nunca desiste da luta, fazendo chuva ou sol, como ou sem transporte o individuo tem uma reunião e enfrenta as adversidades para chegar até o local na região central de São Paulo, uma das maiores doideiras da minha vida (olha que eu já ate saltei de paraquedas) Mas notei o quanto e surreal ver a cidade parada pois não se tem transporte público viário , os ônibus estão sem rodar em diversos terminais, diversas linhas da periferia e do centro estão sem sair de suas garagens, deixando mais de 5 MILHÕES DE PASSAGEIROS (exatamente 5.469.794 passageiros por dia – dados da SPTRANS relativos aos três primeiros meses de 2014 , empresa que administra o transporte em SP). E não podemos esquecer-nos da media de 3 milhões de passageiros que andam de metro (cabe tudo isso?) .

Olhando as ruas enquanto perambulava pela cidade atrás de uma entrada no metro vazio, via as pessoas perdidas, desesperadas sem saber como voltar pra suas casas, mulheres com crianças de colo, idosos sem espaço e dignidade para entrar num único ônibus que rodava, onde a palavra superlotação era elogio naquele momento, vi pessoas voltado para dormir em seus trabalhos, ligando para os familiares dizendo que sem condições de chegar em casa ! Eu não me sentia tão preocupado para chegar em casa, até por sei me virar muito bem para chegar “na quebrada” em casos de extremos na cidade, mas ontem olhei o quando essa coisa chamada ônibus é necessário para um trabalhador, mesmo sendo comparado á um navio negreiro que vivia abarrotado de pessoas sem condições humanas de estarem ali, onde ele sofre, mas em sua ausência, não sabe o que fazer.

Sempre tem alguém para estragar as coisas, e começaram a incendiar ônibus em algumas regiões da cidade, foi quando o grande estopim surgiu, pois todas as empresas de ônibus mandaram recolher seus veículos da rua. Uma cidade que não dorme como São Paulo às 23hs não teria mais ônibus nas ruas, onde o desespero se tomava conta! Sorte de alguns onde alguns motoristas solidários levavam os passageiros que estavam nos terminais até imediações das garagens de suas empresas para que o povo ficasse um pouco mais próximo de suas casas e enfrentassem as longas caminhadas, incertas, inseguras e que geravam duvidas: – Como será amanha?

Estão fechando tudo, fecharão tudo e a população vai pagar. É sabotagem ou uma forma valida e democrática de participação e mobilização da classe trabalhadora? Estou nessa duvida e angustia em saber o que acontece, onde vai parar tudo isso, até onde a população vai pagar por isso, por questões trabalhistas ou partidárias? Vamos refletir até onde e como se manifesta! Enquanto isso vou lembrar pro resto da vida… O DIA QUE SÃO PAULO PAROU! Caos social instaurado! IMAGINA NA COPA ?

Carlos Alberto, São Paulo.

O responsável pelo conteúdo é o autor.

Nota

  No dia 15 de maio, o Desabafo Social, por meio da Monique Evelle, participou do 14º ano de mobilização do “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, celebrado no dia 18 de … Continuar lendo

Nota

“Atire a primeira pedra quem nunca errou”, frase dita por um certo homem que viveu há dois milênios e que ainda não foi muito bem assimilada pelas pessoas. O caso de Maria Madalena que seria linchada até a morte por … Continuar lendo

Nota

Estamos embarcando numa louca e produtiva aventura com pessoas da área de arquivologia, biblioteconomia e museologia. Essa loucura tem nome! É a 3ª Bienal da Bahia que acontecerá a partir de 29 de maio em Salvador e diversas cidades do interior baiano. … Continuar lendo

Tribo Urbana – A voz da Periferia !

Imagem

Grupo Lição Final

 

O movimento negro Hip-Hop está cada vez mais evidente . O jeito de se vestir, de falar, de cantar, de dançar deixou de ser algo discriminável e passou a ser símbolo . O hip hop é uma cultura artística que foi iniciada durante a década de 1970 nas áreas centrais de comunidades jamaicanas, latinas e afro-americanas da cidade de Nova Iorque.

O Afrika Bambaataa, reconhecido como o criador oficial desse movimento, criou quatro pilares essenciais na cultura hip hop: o rap, o DJing, a breakdance e a escrita do grafite. Outros elementos incluem a moda hip hop e as gírias. Os subúrbios, que são verdadeiros guetos, enfrentam diversos problemas de ordem social como pobreza, violência, racismo, tráfico de drogas, carência de infra-estrutura e de educação, entre outros , desde então os jovens encontram na rua o único espaço de lazer, e geralmente entram num sistema de gangues, as quais se confrontam de maneira violenta na luta pelo domínio territorial , daí podemos então reconhecer o Hip Hop como um movimento de libertação , um movimento cultural que dá condição de pensar para vários outros segmentos e a partir dai dar condições de lutar em favor das periferias.

A melhor forma de levar novas perspectivas de vida para as pessoas que vivem à margem da sociedade é incentivando a liberdade e uma forma de expressar o seu sentimento e a realidade social em forma de rap. Contribuir para que os jovens saiam do mundo das drogas, educar e atrair as pessoas para o lado da cultura buscando conhecimento através do rap, essa é a filosofia , esse é o objetivo . O Rap é a face da periferia e a construção cultural a partir do surgimento de expressões artísticas inovadas que revelam a identidade e retratam a cidade, partindo de pensamentos e manifestações que que batem de frente com a real situação da sociedade e propõe mudanças na mesma .

O movimento chegou como uma questão de educação e com o seu papel na diminuição da desigualdade que gera violência, abrindo o campo de visão da juventude que começa a interpretar o coletivo dentro da trajetória de manifestações culturais que atuam nas periferias metropolitanas, convivendo com as dificuldades e os problemas sociais , que refletem o seu dia a dia e afetam até o perceber desta arte dentro da construção da cidade. A força moral não é um privilegio heroico , faz parte de qualquer sujeito principalmente aquele que mora na favela , porque este aprende que a cada dia que se passa a sua vida é uma batalha e pra pra conseguir o que se quer é necessário ir a luta .

O Hip hop desenrola histórias de heróis na vida real , vivida por pessoas comuns da favela e não importa a cor, o nível de escolaridade , religião ou qualquer outro critério , a periferia é o centro , o hip hop é nossa manifestação cultural é a voz da rua , são crônicas e informações em forma de música , de dança , de arte.

 

Tainá Paranhos

O responsável pelo conteúdo é o autor.