Desabafo – Poema de Rafael Ruvenat.


Eu desabafo de forma concreta,
Discreta que por certa se faz dizer,
Ao passo que quando fico calado,
Uma voz se ergue, e te ouço.

Quantos no esforço de serem ouvidos,
Pelos que fingem não ter escutado,
Dizem por vasos e jarros quebrados
Que tudo é só desabafo.

Quantos esperam por nós,
Ver um lado de esperança,
Ter no futuro a lembrança
A palavra superação.

Social, não é terno e gravata,
É ser terno em uma palavra, solidariedade.
E nos traços de suas ações vejo um belo ser.

Nas fotos de janelas quebradas,
Eu vejo o Sol, o mar, a vizinhança dia noite nasce.

Da janela pra lá está todo o mundo, admirado pela vista que se faz mostrar em fotos.

O aprendizado dentro de nós nos faz aprender, desejar e crer que é possível fazer.

É possível ações se multiplicarem,
É possível.
É possível acreditar que ao fechar os olhos à noite acordaremos despertados pelo dia.
É possível.
É possível pelo Desabafo Social transformar,
É possível.
É possível sonhar,
É possível.
É possível acreditar,
É possível.
É possível viver,
É possível.
É possível tudo, é possível ser.

Foi para mim, despertar nestas palavras o silêncio do meu Desabafo admirado pelo seu ser.
Ser Monique num simples gesto,
Uma única forma de ser.

Rafael Ruvenat.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s